Natan Rodrigues chega à final do 50º Banana Bowl em Criciúma, e Gustavo Heide é campeão das duplas


Brasileiro enfrenta o chinês Hanwen Li na disputa do título do torneio que revelou grandes nomes para o tênis mundial

Natan Rogrigues representa o Brasil na final do Banana Bowl (Luiz Candido, CBT)

O Brasil mais uma vez está na final da principal categoria do Banana Bowl, o mais tradicional torneio de tênis juvenil da América Latina e que neste ano está em sua 50ª edição. Neste sábado, o baiano Natan Rodrigues fez mais uma grande exibição e venceu o norte-americano Dali Blanch na semifinal por 7/6(3), 3/6 e 6/3. Na decisão, a partir das 9h deste domingo na Sociedade Recreativa em Mampituba, em Criciúma (SC), ele enfrenta o chinês Hanwen Li, que passou pelo argentino Roman Burruchaga por 6/4 e 6/3. A partida terá transmissão ao vivo pela Bandsports. Nas duplas, o paulista Gustavo Heide foi campeão ao lado do italiano Luciano Darderi.

Natan pode ser o oitavo brasileiro a conquistar o título do torneio que já revelou grandes nomes para o tênis mundial. Venceram o torneio na categoria 18 anos Joaquim Rasgado (1970), Roger Guedes (1971), Flávio Arezon (1973), Eddie Pinto (1974), Eduardo Oncins (1981), Fernando Meligeni (1989, quando ainda jogava o circuito internacional com as cores da Argentina) e Orlando Luz (2014 e 2015). Também foram campeões da categoria atletas como os norte-americanos John McEnroe (1977) e Andy Roddick (2000), o austríaco Thomas Muster (1984), o brasileiro Fernando Meligeni (1989), os argentinos Franco Davin (1985) e Mariano Zabaleta (1995), o chileno Fernando Gonzalez (1998), entre tantos outros.

Natan Rodrigues é o cabeça de chave número 1 do torneio e está no 16º lugar do ranking juvenil da ITF. Já o chinês Hanwen Li, que entrou no Banana Bowl como o cabeça 3, é o 19º colocado da classificação mundial. Este será o primeiro confronto entre os dois tenistas.

“Hoje foi mais um jogo muito complicado em termos de desgaste físico e mental. Eu não tive férias entre 2019 e 2020, segui jogando, e isso é desgastante, não posso negar. Mas é isso: tem que ter superação, querer, manter a energia alta. Ver as pessoas apoiando na arquibancada também faz a diferença, dá energia nos momentos do cansaço. Ver as pessoas ali motiva muito e espero que amanhã possamos seguir na mesma tocada”

A final feminina será realizada na sequência, com o jogo entre a norte-americana Elvina Kalieva e a espanhola Leyre Gormaz. Kalieva venceu a semifinal contra a americana Madison Sieg por 6/2 e 6/0, enquanto Gormaz passou por Madison Sieg por 7/6, 2/6 e 6/4.

Neste sábado foi realizada a final das duplas em Criciúma. No feminino, a decisão foi sul-americana. A parceria entre a argentina Ana Geller e a uruguaia Guillermina Grant superou a dupla da equatoriana Mell Gonzalez e a argentina Solana Sierra por duplo 6/4. No masculino, o paulista Gustavo Heide fez parceria com o italiano Luciano Darderi e ficou com o títulos. Eles ganharam do americano Dali Blanch e do venezuelano Lorenzo Claverie por 6/2 e 6/3.

O Banana Bowl tem a realização da Confederação Brasileira de Tênis em parceria com a Federação Catarinense de Tênis e a Associação Tênis RJ. Patrocínio de BRB, o Patrocinador Master do Tênis do Brasil, Wilson, Peugeot e WA Sport. Apoio de Farben, Cristalcopo, Interclass, Cardall, Prefeitura de Morro da Fumaça e Orthopride.

Gustavo Heide (E) e Luciano Darderi foram campeões nas duplas (Luiz Candido, CBT)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s