Quatro brasileiros avançam às oitavas do Banana Bowl 18 anos, em Criciúma



João Lucas Reis IMG_4789Quatro brasileiros estão nas oitavas de final da categoria 18 anos do Banana Bowl 2018, disputado nas quadras de saibro da Sociedade Recreativa Mampituba, em Criciúma: o pernambucano João Lucas Reis, o brasiliense Gilbert Klier, o equatoriano radicado em Santa Catarina Mateo Reyes e o mineiro João Ferreira.

Cabeça de chave número 13 e 33º do ranking mundial juvenil, Reis saiu de bye e confirmou o favoritismo ao vencer o norte-americano Nathan Han por 6/4 e 7/6 (4). Ele agora enfrentará o japonês Naoki Tajima, terceiro favorito, por uma vaga nas quartas de final.

“Foi um ótimo jogo, consegui ser bem agressivo nessa primeira rodada, que é sempre mais tensa. Cometi poucos erros e não dei espaço para ele. Amanhã [Nesta quarta-feira] espero fazer outro belo jogo contra o Tajima. Ganhei dele semana passada nas quartas [do G1 do Paraguai]”, contou o tenista, que também falou sobre a expectativa de ser o melhor brasileiro ranqueado do Banana Bowl 18 anos. “Expectativa boa, venho jogando bem nos últimos meses, pressão boa, tem bastante gente me apoiando e é seguir na chave e fazer um ótimo torneio”, completou.

Mais cedo, Klier foi o primeiro tenista nacional a avançar ao bater o búlgaro Adrian Andreev, oitavo favorito, com parciais de 6/4, 3/6 e 6/4. Na sequência, Reyes passou pelo argentino Thiago Agustin Tirante, cabeça 7, por 7/5 e 6/2. E, por último, Ferreira derrotou o romeno Filip Jianu por 6/1 e 6/4 e também garantiu a classificação para a próxima fase.

Já os paulistas Matheus Pucinelli e Igor Gimenez, cabeças de chave 12 e 15, respectivamente, acabaram superados na estreia. Nos dois últimos jogos de simples da noite, ambos foram derrotados por holandeses. Pucinelli perdeu para Deney Wassermann por 7/6 (4) e 6/2, enquanto Gimenez foi superado em um duelo duríssimo por Lodewijk Weststrate, com parciais de 6/4, 6/7 (4) e 6/4.

No feminino, a única brasileira que seguia viva na chave principal de simples, a paulista Ana Luiza Cruz, acabou superada pela colombiana cabeça 1, Maria Camila Osorio, sexta colocada no ranking mundial juvenil, por duplo 6/1. A principal favorita pode conquistar seu quarto título este ano.

“Bom, é seguir pensando em partida por partida. Sei que este torneio é de muito nível, reúnes os melhores do mundo. Minha expectativa é ganhar o torneio, mas passo a passo e partida por partida”, afirmou Osorio, que conquistou os três torneios que disputou em 2018. Ganhei os torneios anteriores Costa Rica, Colômbia e Paraguai, mas é um torneio novo, outra semana e todas as meninas vêm dispostas a ganhar”, ponderou.

O Banana Bowl é organizado pela Confederação Brasileira de Tênis (CBT), em parceria com a Federação Catarinense de Tênis (FCT) e com a Federação Gaúcha de Tênis (FGT), e com supervisão da Federação Internacional de Tênis (ITF) e da Confederação Sul-Americana de Tênis (Cosat).

Crédito foto: Matheus Joffre

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s